Gestão do Departamento de Futebol é tema de palestra promovida pela FES

30 de outubro de 2020


Com o objetivo de capacitar os profissionais capixabas, a Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo (FES) realiza no próximo dia 09, das 19h às 21h, a palestra Gestão do Departamento de Futebol, com o gerente de futebol do Palmeiras, Cícero Souza. O evento, exclusivo para ligas e clubes filiados, vai tratar de objetivos e modelo de gestão, finanças, comissão técnica, montagem de elenco, categorias de base, saúde, logística, registro, comunicação e marketing.

Para participar basta se inscrever através do e-mail imprensa@futebolcapixaba.com. A palestra será transmitida através da plataforma Zoom.

Cícero Souza é graduado em Educação Física e especialista em Gestão Técnica do Futebol. Atualmente, preside a Associação Brasileira dos Executivos de Futebol (Abex). Ele é gerente de futebol do Palmeiras, com experiência do mesmo cargo no Esporte Clube Bahia, além de ter exercido o cargo de executivo de futebol no Criciúma Esporte Clube, no Sport Club do Recife e no Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

O assunto Gestão do Departamento de Futebol sempre rende um debate caloroso. De que forma o senhor tem procurado tratar do tema com pessoas interessadas ou que já estão no meio?

Cícero Souza: Contextualizando todas as verdadeiras áreas de atuação de um gestor profissional, bem como da real necessidade de uma formação mais ampla para poder construir processos em áreas muito distintas.

Essa gestão envolve fatores econômicos, comunicacionais, administrativos, etc. Como o gestor do departamento de futebol deve se capacitar para tratar de forma prática em tantos setores, como por exemplo entender a relação entre reforço do time, marketing e comissão técnica a ponto de manter o equilíbrio entre todas as partes?

Cícero Souza: O gestor deve buscar duas frentes. Primeiro, uma capacitação prática, vivenciando, experimentando, em patamares menores de responsabilidade todas as tarefas que ele precisará executar em alto nível. Invariavelmente, essas primeiras experiências ocorrem em escolinhas, centros de treinamento, prefeituras, categorias de base, clubes sociais, etc. Mas, existe uma segunda busca, que é muito importante, a acadêmica. Tanto dos cursos de Administração, Educação Fìsica, ele também encontrará um embasamento inicial e deve ser finalizado com cursos de gestão esportiva, e, atualmente, o curso de formação de executivos de futebol pela CBF Academy.

O olhar pelas categorias de base evoluiu muito nos últimos anos com o aspecto mais rentável para o clube, seja por uma negociação antes de chegar ao profissional ou não, já que exemplos como Gabriel Jesus no Palmeiras trouxeram títulos antes da boa quantia de venda para clubes do exterior. Como o gestor deve atender essa demanda de modo que o profissional esteja conectado com o trabalho de base, e receba o atleta sem grandes problemas em adaptá-lo a isso?

Cícero Souza: O gestor deve estruturar as categorias de base por quatro prismas: administrativo, técnico, captação e transição. Especificamente, respondendo da transição, percebo que o gestor deve criar muitos processos, receber a planilha master de todos os elencos, receber a convocação de todos os jogos, receber o relatório de vídeos de todas as partidas, o scout de todos os acontecimentos, etc. Devem existir processos integratórios das áreas física, clínica, fisiológica, nutricional e, se possível, um alinhamento técnico tanto na área dos comandantes (treinadores), quanto auxiliares e também metodologia de treinador de goleiros. Com tudo isso, a transição tende a ser mais facilitada e menos dolorosa.

Como a Abex atua nesse processo de formação dos gestores de futebol?

Cícero Souza: A Abex organiza há nove anos, eventos trimestrais, onde leva profissionais das mais diversas áreas, como registro, logística, comunicação, marketing, treinador de goleiros, coordenador científico, etc. Isso acontece visando a oportunização de mais conhecimento de todas essas áreas e, com isso, a formação de um profissional mais completo. A Abex também participou de um processo de estímulo, que culminou com a criação do curso de formação de executivo de futebol, todo ele gerenciado, ordenado, e executado pelo CBF Academy.

Que tipo de exemplos do Palmeiras e dos clubes anteriores que o senhor trabalhou, estarão na palestra?

Cícero Souza: Pretendo incluir alguns indicadores de área de saúde, de área de categoria de base, de prospecção de receitas do case da Sociedade Esportiva Palmeiras. E, acima de tudo, fazer não só uma palestra, mas um momento interativo tentando contextualizar os gestores capixabas da real necessidade da qualificação, da profissionalização, da tomada de decisão, para que isso possa sim dar um suporte extremamente solidificado às equipes, às agremiações, para que enxerguem o futebol como um produto total e não apenas um jogo disputado por 11 atletas de cada lado.


Próximos jogos

Copa ES Sub 15
Camp Nou – Barcelona, Serra

Copa ES Sub 15
Campo do Paul, Vila Velha

Copa ES Sub 15
Campo do América - Olaria, Guarapari

Copa ES Sub 17
Camp Nou – Barcelona, Serra

Copa ES Sub 17
Campo do Paul, Vila Velha

Copa ES Sub 17
Campo do América - Olaria, Guarapari

Copa ES Sub 17
Municipal Zenor Pedrosa, Nova Venécia

Copa ES Sub 17
Campo do AERT, Serra