Capixabão 2023 tem datas e fórmula de disputa definidas

10 de outubro de 2022

Foto: Henrique Montovanelli

O pontapé inicial foi dado para o Campeonato Capixaba 2023. Representantes dos clubes e da Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo (FES) se reuniram na tarde desta segunda-feira (10), no hotel Golden Tulip, em Vitória, em arbitral para tratar de assuntos referentes a competição.

A fórmula de disputa, as datas e a distribuição de vagas de competições nacionais foram definidas no encontro, que contou com a presença dos 10 times que irão disputar o campeonato no ano que vem: Atlético Itapemirim, Desportiva Ferroviária, Estrela do Norte F.C., Nova Venécia F.C., Porto Vitória F.C., Real Noroeste F.C., Rio Branco A.C., Serra F.C., Vilavelhense F.C. e Vitória F.C.

O Capixabão 2023 terá a mesma fórmula de disputa das últimas edições, proposta da FES eleita por maioria dos votos (50 contra 4). Desta forma, os 10 times se enfrentam em turno único na primeira fase, com oito avançando para as quartas de final. Os dois últimos colocados na primeira fase serão rebaixados para a segunda divisão estadual de 2024.

Todas as três fases do “mata-mata” (quartas de final, semifinal e final) serão disputadas em jogos de ida e volta.

Os clubes também discutiram proposta sugerida pelo Vitória FC, de final única com utilização do sistema de árbitro de vídeo (VAR), como ocorreu na Copa ES Unimed Sicoob 2022. Porém, a proposta mais votada (28 contra 26 votos) foi para que a final seja realizada em dois jogos e sem a utilização do VAR.

A competição começará no dia 21 de janeiro de 2023, com previsão de término no dia 23 de abril. A tabela e o regulamento serão publicados no site da FES no dia 23 de novembro deste ano.

O campeão do Capixabão 2023 se classifica para três competições: Campeonato Brasileiro Série D 2024, Copa do Brasil 2024 e Copa Verde 2024. O vice-campeão capixaba fica com a segunda vaga para a Série D 2024.

Já a Copa Espírito Santo 2023 vale vaga para a Copa do Brasil 2024, para o campeão, e para a Copa Verde 2024, para o vice-campeão.

Ministério da Cidadania presente 

Coordenador geral de futebol da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, Rogério Gedeon de Araújo

Antes do início do arbitral, o presidente da FES, Gustavo Vieira, apresentou o coordenador geral de futebol da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, Rogério Gedeon de Araújo, que veio ao Espírito Santo fiscalizar e acompanhar de perto a aplicação dos recursos federais direcionados às competições organizadas pela autoridade do futebol capixaba.

Em 2017, a FES se tornou a primeira Federação a conseguir certificação do Ministério do Esporte (atualmente incorporado ao Ministério da Cidadania), ao se adequar à Portaria/ME nº 224/2014, cumprindo os artigos 18 e 18-A da Lei nº 9.615 de 24 de março de 1998 (Lei Pelé). Atualmente, ela ainda é a única Federação do país capaz de receber os recursos federais.

“A gente percebe a organização da Federação, o planejamento, e isso é essencial para que se busque recursos públicos para se cumprir o calendário proposto. Realmente a FES tem esse diferencial e a gente sempre a parabeniza esse trabalho”, elogiou Rogério, que é servidor da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania.

“Acompanhei partidas do Sub-17 e Sub-15, tive oportunidade de conversar com equipes de arbitragem, considerando que todos os árbitros são pagos com recursos dessas parcerias, acompanhar a utilização dos materiais esportivos, que também são adquiridos com recursos dessas parcerias, e isso é muito importante, conversar com as pessoas e entender como esse trabalho realizado no Ministério acontece na prática aqui no Estado”, concluiu.